Get Adobe Flash player


Contabilidade Simples ,Lucro Presumido e Lucro Real

Balanços, balancetes mensais, fornecimento de relatórios gerenciais voltados para a atividade; emissão de livros contábeis e fiscais, Imposto de Renda Pessoa Física e Jurídica; Controle Patrimonial dos Bens do Ativo Fixo; Análise econômico – financeira dos balanços e balancetes. Orientação e Assessoria Contábil, Tributária e Trabalhista. Escrituração de notas fiscais; Apuração de Impostos Estaduais, Federais e Municipais; Cumprimento de obrigações acessórias Federais, Estaduais e Municipais; Admissões, contratações, demissões, cálculos de férias; Folha de Pagamento; Atualizações de Livros e Fichas de Registro e carteira profissional.

Auditorias

Arquivo SINTEGRA; exame de documentos, livros, registros, inspeções e controle do patrimônio. Contribui para a redução de ineficiência, negligência, melhor controle de bens, direitos e obrigações.

Consultoria Financeira

Análise de Demonstrações Financeiras, exigidas por lei e desenvolvidas para efeito gerencial da atividade, avaliando o desempenho para obtenção de crédito junto a entidades comerciais e financeiras, elaboração de planos e diretrizes para curto, médio e longo prazo, possibilidade de credenciamento para concorrência e fornecimento junto a entidades públicas e particulares.

Recuperação Judicial

A legislação falimentar é um segmento que tem forte implicação com a atividade contábil, tanto no que se refere à exigência da escrituração contábil e seus demonstrativos, quanto à responsabilidade dos contabilistas. A Lei 11.101 de 9 de fevereiro de 2005, trouxe novidades, não somente no que se refere aos procedimentos relativos à falência, mas, sobretudo com a instituição da recuperação judicial e extrajudicial do empresário e da sociedade empresária.

Planejamento Tributário

Estudos, projeções e pareceres sobre a melhor opção tributária da empresa.

Plano de Negócios

Agrega e sistematiza informação prática e atualizada para a concretização de um projeto e para a previsão e solução de seus problemas.

Organização Empresarial

Diagnóstico econômico – financeiro, elaborando técnicas de gestão aplicáveis ao segmento. Informatização da empresa e gestão de plano de negócios e elaboração de metas.

BNDES - Projetos Econômicos

Elaboração de projeto social direcionado à capacitação de recursos junto ao BNDES. Auxilio na negociação e captação de empréstimos e recursos de terceiros. Análise econômica da viabilidade do investimento.

Processos

Abertura, alteração e baixa de empresas.

 

 

 

SINTEGRA

 

ENVIE SEU SINTEGRA AQUI

 

SINTEGRA é a sigla do “Sistema Integrado de Informações sobre Operações Interestaduais com Mercadorias e Serviços”. Trata-se, na realidade, de um sistema de troca de informações sobre operações de entrada e saída de mercadorias e prestações de serviços realizadas entre as unidades da Federação. Estão obrigados a gerar o SINTEGRA todos os contribuintes que utilizem Processamento Eletrônico de Dados (PED) para a emissão de documentos fiscais (Ex.: Nota Fiscal, Conhecimento de Transporte, etc.) e/ou para a escrituração de Livros Fiscais,  bem como os contribuintes usuários de equipamento Emissor de Cupom Fiscal que tiver condições de gerar arquivo eletrônico, por si ou quando conectado a outro computador. Os contribuintes substitutos tributários, exportadores/importadores, independentes de serem usuários de PED, também devem apresentar o arquivo Sintegra.

Uma das modalidades de apuração do Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas é o Lucro Presumido, forma que utiliza como base de cálculo um valor determinado pela aplicação de um percentual sobre a receita da pessoa jurídica.

A opção por essa sistemática só pode ser exercida pelas empresas industriais, comerciais ou de prestação de serviços, cuja receita bruta, no ano-calendário anterior tenha sido de até R$ 48.000.000,00 (quarenta e oito milhões de reais). Quando a pessoa jurídica tenha iniciado atividades no ano anterior, o limite é de R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) multiplicado pelo número de meses de atividade naquele ano. A alíquota do IRPJ sobre o lucro presumido é de 15%. As pessoas jurídicas oitante pelo lucro presumido determinarão a base de cálculo da Contribuição Social, que será de 12%, em regra geral, sobre a receita bruta com adições devidas. A Alíquota da Contribuição Social é de 9% como regra geral.

 

 

 

O Lucro Real é o regime geral de apuração, haja vista ser o único admitido a todos os contribuintes.  A opção ao Lucro Real é formalizada no decorrer do ano-calendário, e manifestada com o primeiro recolhimento do Imposto de Renda referente ao respectivo período de apuração.

A forma de tributação do imposto de renda determina, inclusive, a forma de tributação da CSLL, do PIS/PASEP e da COFINS. Sobre a base de cálculo, inclusive estimada, serão aplicadas as seguintes alíquotas: IRPJ - 15% (quinze por cento); CSLL - 9% (nove por cento). Em relação ao IRPJ, é necessário ainda verificar a possibilidade da incidência do adicional do imposto de renda, calculado mediante aplicação da alíquota de 10% (dez por cento) sobre a parcela do lucro real que exceder o valor resultante da multiplicação de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) pelo número de meses do respectivo período de apuração.